Sete estados concentram mais da metade dos empreendimentos do PAC

18 de setembro de 2014
Dyelle Menezes e Gabriela Salcedo

Mais da metade das obras da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) está concentrada em sete unidades federativas do país. Os estados de Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Ceará, Maranhão, Pernambuco e Rio Grande do Sul somam 24.935 empreendimentos. Ao todo, 48.583 iniciativas estão especificadas para todos os estados no PAC 2.

_ETO1508-EditOs dados foram colhidos pelo Contas Abertas no último Balanço do PAC 2 e englobam o que foi realizado entre janeiro de 2011 e abril de 2014. A segunda etapa vai ser finalizada em dezembro deste ano.

Minas Gerais é o estado campeão no PAC: 4.671 empreendimentos estão programados para serem construídos nos municípios mineiros. Apenas 537 obras, no entanto, receberam o carimbo de “concluídas” no 10° balanço do PAC.

A maior parcela das iniciativas previstas para Minas Gerais se deve à construção de quadras esportivas, cuja previsão é de 1.315. Entre as obras também está a implementação de 1.067 Unidades Básicas de Saúde (UBS). O estado é o que mais possui municípios no país, 853.

Já o estado da Bahia possui 4.605 empreendimentos previstos no PAC 2. Dentre as obras, 559 foram concluídas, das quais 206 são em UBSs. Também está em operação a obra de Desenvolvimento da Produção de Petróleo e Gás. Apesar disso, 2.020 iniciativas estão em fases iniciais e 1.985 em obras ou em execução.

São Paulo, por sua vez, conta com 4.005 empreendimentos autorizados para serem construídos por meio do programa. Do total, 675 iniciativas já foram concluídas ou entraram em operação. É o caso de 48 creches e pré-escolas e 179 unidades básicas de saúde.

O estados do Ceará, Maranhão, Pernambuco e Rio Grande do Sul possuem 3.142, 2.850, 2.835 e 2.827, respectivamente.

Confira aqui o ranking dos estados com mais obras

Obras em mais de um estado

Outras 157 obras previstas no programa possuem localização em mais de um estado. É o caso, por exemplo, da Usina Hidrelétrica, que beneficia tanto o Maranhão como Tocantins. Também está nessa lista a Extensão da Ferrovia Norte-Sul entre Panorama/SP e Rio Grande/RS, que passa pelo Paraná e por Santa Catarina.

Nível nacional

Sete iniciativas levam a classificação de “Brasil” ou “Nacional”, como a Fase I do Plano Nacional de Logística Portuária, ferramenta de apoio a tomada de decisões e busca de resultados para os problemas provocados pela falta de estrutura uniforme na divisão clara de tarefas e responsabilidades entre entidades públicas e privadas.

Com esse selo, ainda estão iniciativas como Exploração do Pré-Sal e do Pós-Sal, manutenção de malha rodoviária brasileira, levantamento da Geodiversidade – Riscos Geológicos e Desastres Naturais e contratação de financiamento de Marinha Mercante entre 2011 e 2014.

Obras por região

O Nordeste é a região brasileira que mais concentra obras do PAC 2, com 20.388 iniciativas previstas. A quantia representa 42% do total de obras do programa. Além disso, também é identificada a concentração de obras em três dos estados nordestinos: Bahia, Pernambuco e Ceará. Estes são responsáveis por mais de 51% das obras destinadas ao Nordeste, com 10.597 empreendimentos.

Em seguida, São Paulo. No estado mais rico do país, o PAC 2 foi programado para construir 10.810 obras de desenvolvimento. O montante representa 22,2% das iniciativas previstas para todo o país. Abaixo, na região Sul, concentram-se mais 7.187 obras, ou 14,8% do total.

Por fim, as regiões Centro Oeste e Norte. À primeira, destinou-se 4.423 obras, ou 9,1% do total, e à última, 5.775 empreendimentos, que representam 11,9% de todas as obras do PAC 2.

PrintFriendly and PDF