Câmara reserva R$ 57,4 mil para compra de café

23 de outubro de 2016
Dyelle Menezes

Depois da prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, pela Lava Jato, os deputados federais querem ficar de olhos bem abertos. Foram empenhados R$ 57,4 mil pela Casa para o fornecimento de café em pó de categoria superior. O valor atende ao primeiro mês de vigência contratual com a empresa Fino Sabor Indústria e Comércio Ltda. O pedido foi realizado pelo Departamento de Material e Patrimônio.

carrinho-de-comprasVeículos blindados

A segurança também é prioridade. A Câmara dos Deputados reservou R$ 22,3 mil para a locação de veículo blindado sem motorista e sem combustível para circulação na cidade de São Paulo. O valor atende despesas de 24 de outubro a 31 de dezembro de 2016. A Casa também reservou R$ 27,9 mil para o mesmo serviço, no mesmo período, só que em Brasília.

Estande

A Câmara ainda empenhou R$ 22,4 mil para a locação de espaço físico com 72 m² para abrigar a participação da Casa e do Senado Federal na III Bienal do Livro e da Leitura, em Brasília de 21 a 30 de outubro.

Etiquetas de identificação

O Senado Federal, por sua vez, vai destinar R$ 57,1 mil para etiquetas de identificação. Ao todo, são 28 mil etiquetas autoadesivas e regraváveis, de forma que seja possível apagar o conteúdo gravado na etiqueta e gravar um novo conteúdo por quantas vezes forem necessárias.

Antitumulto

O Senado também está preocupado com possíveis tumultos na Casa. O órgão empenhou R$ 335,8 mil na compra de diversos itens para esse setor. O Senado reservou R$ 112 mil para a compra de 200 unidades de escudo antitumulto, R$ 170 mil para 200 trajes de segurança e R$ 53,8 mil em 200 capacetes para segurança, também antitumulto.

Mais compras

O Tribunal de Contas da União reservou R$ 260 mil para prestação de serviços técnicos continuados de design gráfico nas dependências da Corte,em regime de empreitada por preço unitário.  Já o Superior Tribunal Militar empenhou R$ 58,8 mil para a aquisição de 1,3 mil agendas para o ano de 2017.

O Tribunal Superior do Trabalho não ficou atrás e reservou R$ 949,1 mil para a prestação de serviços técnicos de conservação predial, operação, gerenciamento e supervisão da manutenção preditiva, preventiva e corretiva, remanejamento em ativos patrimoniais do Tribunal, suporte no desenvolvimento e design de produtos, mobiliário e programação visual e suporte na fiscalização de obras.

*A princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade nestes gastos feitos pela União. O eventual cancelamento de tais empenhos não afetaria o resultado fiscal, por não representar redução significativa de despesas. A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos para aumentar a transparência e o controle social.

PrintFriendly and PDF