Entidade questiona construção do estádio de futebol em Blumenau

em Orçamento | 15.07.2017

Um estádio de futebol seria bem-vindo em qualquer cidade do Brasil? Não é isso que está mostrando a sociedade civil de Blumenau, em Santa Catarina. O Instituto Verdade e Liberdade (IVL) está questionando a construção de um estádio de futebol em Blumenau, pois acredita o recurso poderia ser melhor aplicado em áreas com mais urgência.

“Estamos passando por uma carência grande na segurança pública, creches e hospitais, pavimentação de ruas, entre outras. Esse não seria o momento certo para isso. Quem sabe mais tarde, quando também poderia virar uma arena multiuso, que poderia ser utilizado por outros esportes”, aponta Alcione Kleine, representante do IVL.

A prefeitura de Blumenau pediu ao governo federal, a fundo perdido, R$ 20 milhões para a construção do estádio. Além da necessidade de recursos para outras áreas importantes, a entidade aponta problemas com enchentes nos arredores do estádio e contabiliza os custos de manutenção que devem onerar os cofres públicos.

O estádio deverá ser construído no atual Centro de Treinamento do Metropolitano, no bairro Itoupava Central. Para o IVL, a cota de enchentes nesse trecho da Rua Guilherme Scharf é em torno de 10 m.

No entanto, o Secretário de Gestão e Transparência do município, Paulo Costa, afirmou que um dos fatores que pesou na escolha do terreno é o fato de ser do município. Ele foi doado para ser utilizado (não é de propriedade deles) pelo Metropolitano, time da cidade, e hoje não haveria outro imóvel tão adequado para esse tipo de empreendimento.

“Se houver alguma outra área sem o problema do alagamento, o município deverá levar em consideração”, disse Costa.

O secretário também lembrou que a iniciativa de construir o estádio não partiu da prefeitura, e sim do Metropolitano, além de algumas lideranças da cidade. Depois a administração municipal foi provocada para participar de forma mais efetiva quando o Ministro dos Esportes deu um aval positivo. “Por enquanto só há um pré-projeto, mas quando for definitivamente aprovado ainda será desenvolvido todo o projeto executivo”, finaliza.

Para o IVL, no entanto, os fatos não justificam a construção. “Nossa preocupação também é em relação ao valor que seria necessário para a sua manutenção, como contratação de equipe, que iriam onerar ainda mais as contas do municípios”, conclui Kleine. Ela acredita que outras pessoas também preferem que o valor seja aplicado com melhor retorno para a sociedade.

O Secretário de Gestão e Transparência, Paulo Costa, disse que os trâmites legais já foram encaminhados ao governo federal. Agora os técnicos do Ministério do Esporte estão analisando a proposta, mas não há previsão do recurso de chegar.